Ócio


O que fazer quando estamos em casa sem dinheiro, sem faculdade, sem companhia e sem transporte? Não sei o que seria de mim nos momentos de ócio se não fossem os adventos da internet e vídeo. Em momentos que não tenho nada do que eu realmente queria, são eles que me quebram o galho. Em minha adolescência, tinha necessidade de ficar só a todo instante, hoje, tenho a necessidade de estar acompanhada a todo instante. São raros os momentos que busco solidão. Contudo, diante das circunstâncias que descrevi acima, estar só tem se tornado um hábito em minha vida nos últimos dois meses. Sinto falta de sair, de ver coisas diferentes, pessoas interessantes, falta de dar risada, jogar conversa fora.
Bom, enquanto a situação não muda, busco ocupar o tempo com inúmeras coisas, mas sempre me rendo à internet e aos vídeos. Por meio da internet, às vezes me sinto um pouco fora de casa, encontro amigos nas redes sociais e msn, visito lugares, compartilho idéias e me divirto também. Não é tudo o que eu queria, mas como eu disse, dá pra quebrar um galho! Preciso encontrar algo interessante pra fazer urgente enquanto a greve não acaba, de preferência, que renda algum dinheiro. Alguma idéia?

Anúncios

Meu incontrolável fluxo de idéias…


Na última vez em que escrevi aqui, justifiquei a minha ausência comentando um pouco sobre o meu estágio na área hospitalar. No momento, o estágio está suspenso por conta de uma greve e então, não me resta outra alternativa a não ser admitir minha preguiça e falta de criatividade. Hoje, como um milagre do destino e chuva no deserto, me surgiu um incontrolável fluxo de idéias que me trouxe até aqui e a muitas expectativas!
Por incrível que pareça, Jequié – cidade sol – está fria há vários dias, talvez, por esta razão, outros milagres também têm acontecido ultimamente. Deitada ao lado do meu namorado, que de tão cansado, dormia sem nada perceber à sua volta, tentei ocupar minha mente com alguma coisa útil, já que não tinha sono para acompanhá-lo. Já que todas as minhas finanças se resumem hoje em menos de 2 reais, nada mais útil que buscar alternativas para resolver esta situação. A partir daí, minha mente foi inundada por tantas idéias que tive que contá-las nos dedos para não esquecer de nenhuma. De repente, os dedos acabaram e fui obrigada a levantar e pegar o bloco de anotações, garantindo que minhas idéias se tornassem, ao menos, possiblidades e depois de melhor analisadas, por que não, projetos?
Quanto mais eu anotava, mas idéias iam surgindo e agora não apenas sobre finanças, mas sobre posts também. Não sei se a disposição em criar possibilidades e refletir ou o ato de anotar os pensamentos me impulsionou a tanta criatividade, mas o que sei é que eu gostaria que isso fosse mais frequente! Bom, como não tenho garantias, vou cuidar para que nenhuma idéia se perca e levar comigo o meu bloquinho (que é o meu mais novo xodó) para onde quer que eu vá. Afinal, é anotando que as idéias e desejos deixam de ser sonhos e se tornam projetos.

Para nossa inspiração: 8 dicas de organização para sua vida