Voltando à ativa!


Depois de cinco meses completamente sedentários, voltei a malhar ontem. Não imaginava que seria tão difícil voltar, se soubesse, jamais teria parado. Estou com péssimo condicionamento físico e sinto como se não aguentasse mais nada! Se me permite um conselho:

Não importa o que aconteça, não pare de ir à academia! NÃO PARE!!

Ah! Aceito incentivos!! Tô precisando…


Cintos finos

Nunca tive o hábito de usar cintos e apesar de eles estarem em todos os lugares ultimamente, muito mais com a função de acessórios que de ajustar a roupa, eles nunca chamaram minha atenção. Há pouco tempo comprei uma blusa e um macacão que vieram acompanhados de dois cintos fininhos e super charmosos:

 


Na semana passada ganhei um outro cinto muito lindo e estou louca pra usar logo:

Foi depois desse presente que me apaixonei por eles! São tão lindos e delicados, têm um charme todo especial! Como não costumo usá-los, porém, tive algumas dúvidas e andei pesquisando um pouco pra descobrir as melhores formas de usá-los.

 Essas foram as idéias que mais gostei. Eles ficam lindos tanto com roupas mais soltinhas, quanto com tubinhos e a idéia de usar vários juntos também fica muito legal! Não vejo a hora de inaugurar os meus!


Cisne Negro

Os meus filmes preferidos sempre foram as comédias românticas. Já assisti tantos desse gênero que se tornou difícil encontrar um exemplar que eu já não tenha visto. A maioria dessas comédias, entretanto, se tornaram entediantes para mim por serem muito previsíveis. Acho que mudei também minha forma de pensar sobre os relacionamentos e, por isso, já não me identifico tanto com o gênero. Ainda assim, existem algumas que gostei muito, por serem mais criativas, como Caçador de Recompensa, Esposa de Mentirinha, Antes só que mal casado e Amor à distância, que foram as últimas que assisti.
Ontem à noite, tive vontade de ver algo legal. Procurei entre as comédias e não vi nada que despertasse o meu interesse, até que encontrei Cisne Negro, classificado como Drama. Já tive vontade de assisti-lo uma vez, por causa do nome, mas ontem não me empolguei muito em vê-lo na programação. Ainda assim, o escolhi e não me arrependi. Achei o filme surpreendente e muito interessante, de forma que me prendi a cada detalhe. Adoro quando um filme consegue prender a minha atenção e me tira da realidade para a sua história. Foi o que aconteceu ontem, fui dormir com as cenas em minha mente, pensando na vida de Nina e no que ela sentia e viveu.
Nina, a protagonista, é interpretada por Natalie Portman que faz um trabalho incrível! Eu havia me esquecido de quanto um drama pode ser bom. Raramente assisto filmes desse gênero, mas ontem descobri que eles podem ser fascinantes! Um ator tem que ser muito bom pra interpretar um papel que mexa conosco e nos faça sentir a sua alma. A trama também tem que ser muito interessante e envolvente. Enfim, imagino que o Drama deva ser o gênero mais difícil de se trabalhar e admiro muito as pessoas que se desafiam a construi-lo.


O filme me fez pensar também sobre a pequena distância que existe entre o nosso forte desejo de conseguir alguma coisa e a ansiedade que nos adoece e destrói, além do quanto somos, muitas vezes, prisioneiros de nós mesmos pra sermos aceitos em nossos mundos.
Bem, não gosto muito de contar os enredos dos filmes, basta dizer que você vai se surpreender e refletir sobre você mesmo, além do quê, provavelmente ainda vai acordar de manhã com as cenas em sua mente.


Como eu lido com o meu estresse


Ando estressada ultimamente, meu estômago que o diga… Sempre que passo por dias estressantes, o meu estômago paga o pato! Passei o último mês estudando pra um concurso público. Estudei todos os dias, o dia todo e por mais que eu me permitisse algumas distrações às noites e no domingo, a ansiedade por dominar todo o assunto do edital a tempo me consumiu bastante. Graças a Deus, fiz a prova nesse fim de semana, mas ainda preciso descansar, minha mente quer apenas uma rede e um bom livro! Ainda estou ansiosa pra saber o resultado, mas tento me controlar. Me sinto irritada sem motivo algum e tem sido bem difícil lidar com o meu estresse.
Tenho procurado fazer coisas que gosto e evitar obrigações e correrias. Outra coisa que me faz bem é inspirar profundamente quando me sinto muito irritada ou impaciente. Ah, e sorvete! Nada melhor que sorvete no calor de Jequié e com os nervos à flor da pele!